T.1 EP.2 – “FOTOGRAFIA” | COMO SERIA O MUNDO SEM?

Não foi fácil conseguir a aceitação da fotografia como uma arte, nem por artistas ou galerias de arte, nem pelo público em geral. Os fotógrafos foram considerados, por pintores e outros artistas, “grosseiros, intrometidos, destituídos de qualquer capacidade artística”. Mas com o passar do tempo essa afirmação revelou o quão enganados estavam e a fotografia foi, gradualmente, percebida como uma forma de expressão, podendo ser totalmente subjetiva.

Hoje a fotografia tem várias finalidades e está acessível a qualquer pessoa que queira registrar momentos e recordações de férias, da família ou amigos. Desta forma vemos uma das funções sociais mais válidas da fotografia.

Mas olhando por um outro prisma, podemos até compará-la à literatura, como faz Michael Langford no livro Basic Photography. Isto porque o processo de sua aprendizagem é semelhante ao da escrita: primeiro tem que se desenhar as letras que formam as palavras; depois é preciso escrevê-las, compondo as frases e os parágrafos. Mas claro que o conhecimento da escrita não tranforma alguém num escritor; é preciso ter ideias para expor através das palavras.

Neste segundo episódio de “Como Seria o Mundo Sem?”, Gustavo Arrais, reconhecido como um dos 100 fotógrafos mais influentes do mundo, por 3 anos consecutivos, pelo renomado concurso internacional “Black and White Spider Awards” e em 2015 pela International Color Awards, expõe a sua visão e o seu sentimento sobre arte de fotografar.

Um retrato de Gustavo Arrais

Iniciou a carreira, aos 18 anos, como assistente no Estúdio Abril, o maior da América Latina. Lá teve a oportunidade de trabalhar com grandes profissionais da fotografia brasileira durante 6 anos.

Em 1999 começou, de fato, a atuar como fotógrafo. Trabalhou por 3 anos em um estúdio de São Paulo, realizando trabalhos fotográficos publicitários, até que montou seu próprio estúdio ao lado do experiente fotógrafo Dercilio Vanzelli. Entre seus principais trabalhos, se destacam os publicitários e editorais, tendo, inclusive, recebido 2 prêmios Abril de Jornalismo.

Com quase 25 anos de carreira, Gustavo é autor de projetos fotográficos autorais, dos quais se destaca o #LENSLIGHTPROJECT, que resultará em um livro de retratos de artístas de vários segmentos, fotografados com uma iluminação pensada e desenvolvida unicamente para o projeto.

Um outro trabalho que merece destaque é desenvolvido em parceria com sua esposa. Nele, atua como fotógrafo oficial em uma grande causa humanitária em Moçambique, através da organização não governamental (ONG) Fraternidade Sem Fronteiras, que promove ações de educação, alimentação e saúde. Trata-se de um trabalho documental que resulta em imagens impactantes de um país que sofre de extrema pobreza.

Abaixo você encontra uma galeria com registros incríveis deste dois projetos:

 

Acesse o site oficial: gustavoarrais.com
Redes sociais: Instagram e Facebook

E para você, como seria o mundo sem fotografia? Conta pra gente aí nos comentários.

 


Saiba mais sobre este projeto inédito do On•Z

‘Como seria o mundo sem?’ é uma série documental sobre as onze artes mais presentes na atualidade.

O On•Z e a Weedoo Studio of Arts and Films desenvolveram este projeto, que conta com a participação de artistas de várias nacionalidades, para que possamos entender a importância das artes, não só no Brasil mas no mundo todo. Esta série nasce com a intenção de nos fazer refletir sobre a influência causada por cada uma das artes, tanto no desenvolvimento da humanidade ao longo dos tempos e seu impacto na vida de cada ser humano, como na transformação do mundo e da sociedade como um todo, deixando a pergunta no ar para que cada um tente responder individualmente: “COMO SERIA O MUNDO SEM?” [as artes].

Cineasta. Fotógrafa. Atriz. Amante das artes, da natureza e do ser humano!

Posts relacionados